quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Tudo Mudou


Dos meus sentidos tenho medo,
Me perco quando saio fora de mim,
E tudo que tudo planejei,
Antes milimetricamente,
Ora estratégicamente,
Vejo que na vida as coisas não acontecem assim!
E derrepente como em um tufão,
Tudo mudou,
O meu mar se agita,
Fica turbulento...
E a respiração fica estranha,
O coração palpita,
Dos olhos caem a lágrima!
E eu me sinto fraco,
Só...
E fragilizado...
Sinto que tudo se foi,
A alegria e o riso,
E até mesmo a esperança que me acompanha!
Mas me lembro...
Que fraco é aquele,
Que não se deixa chorar!